Desafio 6 meses sem açúcar. 1ª semana.

Pois é, faz 1 semana desde que parei de consumir doces e reduzi o consumo de açúcar no meu dia a dia. E como prometido, estou relatando como foi a minha primeira semana sem açúcar.

Bom, o primeiro corte de açúcar que fiz foi em um chá de erva doce logo no primeiro dia e para ser sincera eu quase vomitei, o sabor era concentrado e senti como se não fosse algo natural do meu corpo, como se inserir o açúcar fosse o mais adequado e durante todo o chá algo em mim dizia que eu deveria colocar uma colher de açúcar. Após do almoço me veio o desejo de comer um chocolate que eu sempre costumava comer, mas foi fácil resistir, substitui o chocolate por um cookie integral de coco, ainda que tivesse açúcar, não carregava uma quantidade tão grande.

No segundo dia comprei algumas bananas pois elas saciam a vontade de consumir doces. Mesmo assim, passar em frente a lojinha e não comprar um chocolate não foi nada fácil. e assim prossegui sem açúcar até o quarto dia onde acabei tomando um chá com açúcar na casa de um colega, porém é importante ressaltar que meu objetivo não é cortar o açúcar pela raiz e sim fazer com que ele deixe de ser um vício no meu dia a dia consumindo o menos possível e o substituindo por açúcar orgânico quando necessário.

Do quinto dia até agora ( décimo dia ) já não tenho consumido açúcar, ainda não tive nenhuma crise desesperada por doces mas sinto que começo a salivar quando penso em um chocolate ou brigadeiro. Talvez o grau de dificuldade aumente até o fim dessa semana, imagino que eu ainda não tenha me sentido irritada como acontece com algumas pessoas, porque tenho consumido muitas frutas e o açúcar presente nelas talvez baste para saciar o desejo superficial do meu organismo.

Em breve voltarei fazendo mais um texto de 2 semanas sem açúcar.

 

 

 

Desafio – 6 meses sem açúcar!

Pois é, andei lendo algumas reportagens como já publiquei aqui anteriormente sobre o consumo de açúcar no nosso dia a dia e decidi me aplicar um desafio de não consumir açúcar por 6 meses. Por que?

Bom, tomei essa decisão depois de me dar conta de como o açúcar funciona como uma droga no nosso organismo, ele não possuiu nenhuma vitamina que possa ser absorvida pelo nosso corpo, além de nos dar vontade de consumir mais e mais doces sem nunca ficarmos totalmente satisfeitos. É  uma droga, e a longo prazo acaba por desenvolver doenças no nosso organismo como por exemplo: Seu uso excessivo pode causar doenças coronárias, diabetes tipo II, problemas neurológicos, doença renal crônica, problemas de  aprendizagem e síndrome metabólica, e seu uso está associado a doença hepática gordurosa não alcoólica, etc.

Dito isso, vou começar a relatar aqui no blog como anda sendo esse processo de diminuição de consumo de açúcar. Toda semana um post sobre como anda esse desafio.

 

Por que Diminuir ou cortar o consumo de açúcar?

tumblr_n3ksw7AKhH1tx597ko1_1280Andei conversando com alguns colegas e lendo algumas reportagens bem sérias sobre o consumo de açúcar e sobre como anda a saúde de pessoas que cortaram o consumo de açúcar ao longo de 1 ano inteiro e achei interessante como em todas as reportagens o açúcar é retratado como um vício, especialista no assunto, Dr. Mehmet Oz, cirurgião e defensor da medicina alternativa, recentemente publicou um estudo onde afirma que quando ingerimos açúcares, estimula-se a liberação  de dopamina no cérebro pelo qual nos faz sentir prazer, então sim, o açúcar extremamente processado que temos hoje em nossas mesas é de certa forma um alimento viciante.  Mas o que é o açúcar? O açúcar é um termo genérico para carboidratos cristalizados comestíveis, principalmente sacarose, lactose e frutose, deve-se lembrar que quanto mais processado é o açúcar, menos natural ele é, pois o açúcar refinado que temos em nossas mesas não possuiu nenhum tipo de vitamina pura que possa ser absorvida pelo nosso corpo. Ou seja, quanto menos processado o açúcar for, mais vitaminas ele possui, um exemplo desse açúcar é o “Orgânico” que por ser menos processado e não ser cultivado com fertilizantes não naturais, acaba se tornando menos prejudicial a saúde. Infelizmente ele não é tão barato, e além disso, não é tão doce, o que acaba fazendo com que a maior parte da população opte por comprar o açúcar refinado.

O que acontece quanto você fica 1 ano sem açúcar? segundo uma publicação que saiu na revista Exame relatando o processo de abandono de açúcar O livro “Year of No Sugar”, lançado recentemte pela americana Eve Schaub conta a experiência vivida por ela, o marido e suas duas filhas, em que passaram um ano inteiro sem consumir açúcar, mel e alimentos com o doce adicionado artificialmente.

 

Isso significou uma mudança radical nos hábitos da família, já que a maior parte dos itens dos supermercados continham alguma quantidade de açúcar em sua fórmula. Até mesmo comidas salgadas vinham com o ingrediente, como bacon, biscoitos, papinha para bebês e molhos para salada. A saída adotada foi preencher o cardápio com mais vegetais frescos (esse açúcar era permitido) e verificar, rótulo por rótulo, tudo que ia para o carrinho.

O esforço, no entanto, foi recompensador. Ao se livrarem do “vício”, aos poucos, todos passaram a se sentir melhor, com mais disposição e menos problemas de saúde. De acordo com reportagem publicada no site da revista Time, numa ocasião em que se permitiram comer uma sobremesa, para comemorar o aniversário do marido, Eve não conseguiu terminar de comer e ainda ficou com dor de cabeça por conta da doçura exagerada.

Essa mudança no paladar é real. De acordo com a nutricionista Claudia Coelho, esse sentido fica acostumado ao hábito alimentar e, ao consumirem muito açúcar, as pessoas têm cada vez mais necessidade de comer doces. Ao interromper o consumo e, mais tarde, voltar ao costume, o corpo sofre em vários sentidos. “Depois que se torna um hábito comer os alimentos com menos açúcar, é muito difícil voltar a consumir os muito doces. Outro fator é o funcionamento intestinal, que pode ficar mais descompensado quando você volta a consumir açúcar em excesso”, afirma.

Mas, se voltar a comer açúcar causa tantos incômodos, porque valeria a pena parar, em primeiro lugar? Segundo Claudia, como esse ingrediente é um carboidrato simples, ele é rapidamente incorporado pelo organismo. Há pesquisas que relacionam o excesso de açúcar à hiperatividade, ao déficit de atenção e à sobrecarga do pâncreas (produtor de insulina, hormônio que disponibiliza açúcar para as células). “Se consumido sem controle, pode causar ou agravar patologias preexistentes, além da obesidade. Mas o pior de tudo é o fato de não conter nenhum outro nutriente”, diz.

Recentemente, a Organização Mundial da Saúde (OMS) reduziu o valor recomendado de açúcar de 10% para 5% de uma dieta de 2.000 calorias diárias. Isso equivale a cerca de 20 gramas, ou cinco colheres de chá. Uma lata de refrigerante, por exemplo, já é o dobro do indicado, pois pode ter até 40 gramas de açúcar.

 

Como é dificil cortar o açúcar pela raiz, recomendo que comecem aos poucos, um bom começo é cortar a adição de açúcar de mesa, substituindo-o por frutas secas e mel que são fontes mais naturais de açúcares.

  • Rejane Leopoldino.

 

Sobre a gratidão de cada dia.

la se vai

Esse texto que hoje publico na categoria de “lições do cotidiano”, se deve a uma amiga, que após a ver por muito tempo se afundar nos problemas profissionais, familiares e amorosos, após algumas lágrimas, muitos conselhos dados e muitas palavras de mau gosto sendo dirigidas uma para a outra, hoje, pode-se dizer que está conseguindo se reerguer de forma estupenda.

Muitas vezes percebo como é fácil reclamarmos constantemente dos infortúnios diários. Pra ser sincera, é muito raro encontrar uma pessoa que esteja realmente agradecida pelo dia que se passou, que se alegre por o que aconteceu de bom, que abstraia as discussões e negatividades do dia para dar início a uma nova manhã recarregada de boas energias e que as possa compartilhar com outras pessoas. Percebo o quanto é constante e como se propaga fácil pela mente as reclamações com o trabalho, com a vida amorosa, com o dinheiro, etc. Para mim não há nada mais indiscutível do que a lei da atração, quando mantemos essa negatividade em nossa mente nós atraímos cada vez mais problemas e a capacidade de gerar soluções e decisões decai drasticamente, e infelizmente, a maior parte das pessoas continuam reclamando para si mesmas, lamentando e se afundando em um poço de amargura apenas pelas dificuldades em lidar com os problemas presentes em seu cotidiano. Caso dessa querida amiga que hoje é tema do meu texto, a negatividade a rondou por muito tempo, corroía a sua vontade, mas hoje, estando ao seu lado e tendo pessoas que sempre a estimularam a se manter positiva, está finalmente voltando a ter a alegria na própria vida. Parte dessa alegria, se deve ao fato do afastamento e pessoas que nos drenam totalmente, como se sugassem nossa energia vital. Essas pessoas, possuem um ar denso em volta delas, um ar sufocante que não nos permite dar muitos passos a frente, por isso, rever as amizades é um dos primeiros passos para atrair boas energias para a própria vida. No próximo texto, farei mais um Hack Life, com dicas para superar o ar da negatividade no nosso dia a dia

  • Rejane Leopoldino

 

 

Sobre a Estabilidade Cotidiana

Grande parte das ideias formadas que tenho, partem de conversas com pessoas que me apresentam duas opiniões diferentes, enquanto estamos conversando, eu tento chegar a um meio termo entre as duas ideias. Pois bem, haviam duas ideias, a ideia de que a verdadeira estabilidade, seria você voltar ao seu ponto de partida. E a segunda ideia, a ideia que diz que, a verdadeira forma de estabilidade, é aceitar a mudança e se adaptar a ela.

Particularmente, acredito na mudança e adaptação, mas a ideia de voltar para o ponto de partida também não me é errada, veja bem, suponhamos que, você traçou uma reta e essa reta foi virando para a direita, ela mudou seu curso e logo você trata de reajustar sua rota, isso é uma mudança. Houve uma mudança quando a reta foi para a direita e houve uma mudança quando você mudou o novo curso dela, para o anterior.

É claro que essa, é a minha ideia de estabilidade, existem várias outras ideias, pontos de vista e teorias sobre a estabilidade, do cotidiano, até o financeiro.

Essa minha ideia ainda não está tão definida, acredito que com o passar dos anos, meu pensamento vai mudar muito sobre isso, mas já é uma base, para uma ideia fixa.

Sobre o “E se?”

Já faz um tempo, estávamos eu e duas grandes amigas minhas, conversando sobre um tema que faz parte da vida de muitas pessoas, assim como faz parte da minha e devo dizer, leitor, que é algo difícil de se livrar, é algo, que nos torna medrosos perante uma situação, onde devemos fazer uma escolha. Leitor. estou falando daquele famoso “e se?”.

Lembrou dele caro leitor? Acredito que sim. Então o que temos, é aquele ideal de pessoa que SE fossemos, seriamos mais amados,mais reconhecidos etc. E a partir dai criamos aquele universo paralelo, onde enxergamos como nossas vidas poderiam estar SE as coisas fossem diferentes. Então nós criamos esse ideal de ego, esse ideal de realidade, esse ideal de caminho e esse ideal de vida.

O ideograma de caminho é composto de outros 3 sub ideogramas, o primeiro ideograma, é o espaço geográfico, caminho é algo que me conduz do ponto A ao ponto B, sem esse espaço eu não posso caminhar, o segundo aspecto é o caminhante, para que exista um caminho, preciso de quem caminha, preciso de alguém que percorra essa distância entre dois pontos. E o terceiro ideograma é o ato de caminhar, se o caminhante ficar parado nesse espaço entre dois pontos, ele é um ponto, no meio de um espaço geográfico. – Flavia Melissa.

Não existe um caminho pré-existente, antes que alguém o percorra, o caminho é construído conforme nós o percorremos. Não existe uma realidade paralela que diz que as coisas poderiam ser diferentes SE…

Esse é o aqui e esse é o agora, de certa forma, quando utilizamos o SE, estamos nos torturando por antecipação, como se não tivéssemos mais escolhas. Ainda estamos percorrendo nossos caminhos, ainda estamos em natural mudança, evolução e movimento.

Veja bem, leitor, SE você não trilhou esse caminho, então esse caminho não existe, e foi você quem decidiu fazer com que esse caminho não existisse. Depois de um tempo, alguns minutos alias, você já começa a tortura mental. E SE eu tivesse feito aquilo? Para saber leitor, você precisa fazer, você precisa tentar, você precisa SER o caminhante, que percorre o caminho entre dois pontos.

Rua 11 de agosto

Dias atrás, três jovens,dois rapazes e uma bela mulata  se puseram a dançar e tocar na Rua 11 de agosto.Um dos rapazes tocava violoncelo e o outro sanfona,já a bela mulata dançava com seu bambolê,ao som da música alegre. Seu vestido apesar de curto,caia muito bem em seu corpo,seus companheiros tinham barbas e cabelos longos. Imaginava eu,ver ali,uma ideia do que poderia ser um estilo de vida talvez nômade.

Certa vez,quando voltava do trabalho,eu os vi e ouvi conversando com um senhor já de idade,jurei captar ali, um sotaque espanhol,um português falado lentamente.

Uma ponta de inveja me atingiu quando senti a energia alegre que eles transmitiam. Teriam eles largado tudo para ter aquele estilo de vida? Poderia eu fazer o mesmo? É claro que sim! Mas falta a coragem e as pessoas certas.Nunca assisti o filme ¨Na natureza selvagem¨ mas sei que há uma frase que diz algo como:

A alegria só é boa,quando compartilhada.

Acho que talvez seja por isso que eles transmitem tanta alegria quando fazem sua apresentação, talvez seja porquê a alegria deles não está sendo compartilhada apenas entre eles, mas com todos que passam em volta.